Tenho essa mania boba de querer ser herói. Não igual nos filmes, mas sempre admirei encontrar pessoas ou causas que eu pudesse contribuir positivamente, claro que nos meus limites.

Mas agora, a vida me chama. Ela olha nos meus olhos e impõe fielmente que a única causa e pessoa para contribuir sou eu mesmo. Meu eu. Minha vida. Minha mente. Minha alma.

Reconstrução. Grandes decisões estão por vir. Talvez eu nunca mais seja o mesmo após essa grande aventura pelos campos longínquos da minha alma. 

Coragem. Enfrentar seus próprios demônios. Força para explorar esse grande labirinto. Bravura para encarar a verdade, frente a frente às pessoas que considero tão queridas.

Recomeçar.

Eu deveria voltar a escrever…

Eu sinto que eu realmente preciso e quero esse hábito. Mas estou com tantas obrigações…

Inquebrantáveis pesos colocados sobre meus ombros por esse destino i-ne-vi-tá-vel da vida e boa convivência!

Mas não ouso deixá-los ou derrubá-los! Não permitirei que aconteça! Afinal em cada um destes há uma alma única, insubstituível.

Por vocês, ouso criar forças, meus amigos! Pois coragem para causar-lhes mal não há de aparecer, apenas a esperança de que eu não os desmereça.